De acordo com o formato do coro participativo, tão difundido para a interpretação de obras sinfônicas de coro, a Orquestra Philarmónica de Lisboa invoca coralistas de todas as vozes para seu primeiro concerto.

 

Este modelo de trabalho, que será desenvolvido duas vezes mais ao longo da temporada 17/18, servirá para poder escolher os futuros coralistas que farão parte do coro estável que esta orquestra criará para começar a partir da temporada 18/19.

A primeira das obras a serem realizadas será a "Gloria" de Antonio Vivaldi, uma das obras vocais barrocas mais conhecidas e realizadas pelas grandes orquestras e massas de coro.

 

Santiago Jesús Otero Vela, os seus estudos musicais no Conservatório “Pablo Ruiz Picasso” de Málaga, recebendo uma Menção Honrosa na classe Piano. Continuou os seus estudos no Conservatório “Manuel Carra”, onde obteve classificação máxima na classe de Percussão e trombone.

 

Iniciou os seus estudos de direção com Miguel Sánchez Ruzafa, diretor da Orquesta do Teatro Isabel la Católica de Granada, ingressando a classe de direção de coral do Conservatório Superior “Manuel Castillo” de Sevilla. Participou em diversos cursos e masterclass a cargo de importantes referências na Direção Coral, como Nuria Fernández, Javier Corcuera (diretor do coro de Radio Televisión Española), Bart Vandewege,  Javier Busto, o diretor de King's College de Cambrigde, Stephen Cleobury.

 

Licenciou-se em Direção Musical pela Universidade de Málaga.

 

Atualmente, realiza uma especialização em canto lírico, com o maestro Miquel Ortega. Como Diretor de Orquesta continua o estudo na Academia de Dirección Orquestal “Opus 23” de Madrid, com os diretores Miguel Romea e  Andrés Salado.

 

Em Junho de 2016, assume a Direção do Coro Oficial da Universidade de Málaga.